Dica de Leitura: Histórias da Moda no Brasil



  “História da Moda no Brasil – das referências às autorreferências” é o livro lançado por João Braga e Luís André Prado em 2011 pela Pyxis Editorial. Os autores tiveram a primeira ideia para este trabalho em 1997 que pretendia ser uma pesquisa de história oral e acabou se tornando um livro de 640 páginas que incorpora 500 imagens de vários acervos e entrevistas que foram uma das principais fontes. Algumas entrevistas estão compiladas em um vídeo feitos junto a esse trabalho e que pode-se achar algumas partes dele no youtube. 






   Tanto no livro como no vídeo, se vê uma discussão que ocorre do começo ao fim: “se existe moda brasileira e o que é moda brasileira”. De todos os livros sobre moda e vestuário no Brasil, este, provavelmente, é um dos mais completos em dados, referências, imagens, entrevistas e personalidades deste universo. Também é escrito em uma linguagem direta, porém não simplista, em que o leitor leigo e o aprofundado no assunto podem aproveitar uma leitura clara e cativante.
E como um bom livro de moda, tem uma linda capa com belos croquis dos nossos grandes costureiros e estilistas e todas as páginas do livro são coloridas e com muitas imagens da nossa história da moda desde a belle époque ao ano de 2010.



ESCRITO POR MARIANA MENDONÇA.

Fav Fashion 2015

     O Fav Fashion é o desfile de conclusão do curso de Design de Moda da UFG. O evento está completando 10 anos de existência. Este ano tem como tema “70 anos do fim da 2ª Guerra Mundial”. 

     E para minha coleção, o subtema escolhido foi “Le Chant des Sirènes” (O Canto das Sereias) nome dado a um trabalho feito pelo artista Cláudio Bueno em uma residência artística em Québec, Canadá. Le Chant des Sirènes é composto por uma música melodiosa, sem instrumentos, em 8 vozes femininas a serem escutadas por um aplicativo de celular às margens do Rio Saint Laurent no Vieux-Port de Quebéc. São vozes que cantam em memória a 8 mulheres que morreram na 1ª e 2ª Guerra Mundial por trabalharem com rádio comunicação. Elas cantam ao seus maridos, amantes, filhos, clientes, para aqueles que voltaram ou nunca voltaram das guerras.

   A minha coleção tem como inspiração este monumento invisível construído pelo artista. Nela trabalho o universo das sereias como a calda, as escamas e as cores aquosas em verde, azul e rosa nude. Além desta inspiração também incorporo algumas referências dos anos da 2ª Guerra Mundial, como o decote coração e plissados de vestidos de festa.


A coleção revela, entre vestidos longos e semitransparente, suavidade e delicadeza, porém, força, melancolia e lamentação nas amarrações das alças e em uma trilha sonora melodiosa e cativante.





ESCRITO POR MARIANA MENDONÇA.

Questionar é o último grito da moda.



      O acesso fácil a informação tornou a moda aparentemente fácil de ser entendida e acompanhada. Revistas de moda estampando as últimas novidades e uma infinidade de blogs ditando como se vestir. Com tantas dicas e inspirações parece ser impossível errar. Mas na hora de se vestir a maioria das pessoas se sentem frustradas ao tentar seguir as lindas e impecáveis blogueiras. Isso acontece porque essa enxurrada de informação é apenas copiada e não interpretada. 

       Infelizmente essa super acessibilidade vem jogando as tendências como obrigatoriedade para se "estar na moda". Forjando uma criatividade que não existe. Quando nos depararmos com esses últimos gritos da moda seja em revista ou qualquer outra fonte, tendemos a pensar quão despretensiosas e criativas elas são. Mas a verdade é que tentam mascarar uma padronização onde não há espaço para sua criatividade e muito menos a sua opinião. Porque o despretensioso é milimetricamente sem compromisso. É exatamente por isso que aquele mix parece maravilhoso na revista,s mas copiado para o dia a dia é uma combinação repleta de adornos e informações desconexas. 

     Mas como entender a moda diante de tanta informação? Entender a moda na verdade é uma coisa simples, pense na moda como uma opinião. Quando alguém tenta te obrigar a ter uma opinião sobre algo o que você faz? Aceita sem pensar ou questionar? Então porque usar algo que engorda, achata a silhueta, envelhece  apenas porque está na moda? Não estou falando que se inspirar em algo é errado, estou falando que antes de tudo questione, não aceite algo apenas porque todo mundo está usando. E principalmente tenha conhecimento do seu corpo e saiba valoriza-lo. Tenha sempre em mente que uma roupa transmite uma mensagem aos outros e é seu cartão de visita. Antes de simplesmente se render aos "encantos" ouse ter sua opinião.


ESCRITO POR CAROLINNY CANDIDO.

Dica de leitura: Cartas a um jovem estilista


Divertido e instrutivo, Cartas a um jovem Estilista- assinado por Alexandre Herchcovitch, o grande homem da moda na atualidade- é um livro repleto de dicas e conselhos valiosos Aqueles que querem ser estilistas de sucesso ou profissionais renomados da área de moda. Herchcovitch não poupa palavras para trazer à luz os maiores desafios da profissão, assim como as conquistas e recompensas que esperam pessoas dispostas a se aventurar no mundo fashion.

ESCRITO POR CAROLINNY CANDIDO.

Profissão: Figurinista

O que é ser um figurinista?



Figurinista é o profissional que trabalha escolhendo e produzindo elementos de cena em uma produção artística (de teatro, cinema ou televisão). O figurino corresponde aos trajes, adereços e acessórios utilizados pelos artistas, que fazem parte da composição de cena e do espetáculo em si. O profissional é responsável por todo o figurino dos personagens, levando em conta muitos aspectos do roteiro, como por exemplo, a época e a região em que a situação se passa, os costumes, o vestuário, tipo físico e psicológico dos personagens, etc.

Quais as características desejáveis para ser um figurinista?

Para ser um figurinista é desejável que o profissional goste de moda, e que, além de tudo, tenha sensibilidade para combinar os aspectos de cena.

Qual a formação necessária para ser um figurinista?

Não existe formação exigida para ser um figurinista, muito embora, a maioria das produtoras de filmes, peças, espetáculos e de televisão exijam que o profissional seja formado em algum curso de graduação ligada à moda, negócios da moda, design de moda, produção cênica, etc.
É também muito interessante que o profissional esteja em constante processo de atualização e participe de cursos, workshops e treinamentos da área.

Principais atividades


Ler o roteiro da peça, novela, espetáculo, show, etc. Analisar o orçamento disponível e elaborar um projeto que atenda todas as necessidades do espetáculo.Pesquisar sobre a época e região em que se passa a trama ou sobre o estilo de espetáculo.Pesquisar sobre os costumes comuns na época e analisar psicologicamente os personagens.

Áreas de atuação e especialidades


O figurinista profissional trabalha em apresentações e montagens artísticas, podendo ser enquadrados nessa categoria as peças teatrais, peças musicais, espetáculos de dança, shows, novelas, minisséries, filmes longas e curtas-metragem, eventos que tenham participações artísticas, etc.

Dica para leitura:



O livro conta a história do figurino de teatro no Brasil, enriquecido por referências de trabalhos realizados por conceituados figurinistas. Rosane Muniz nos faz espectadores de reveladoras entrevistas, traçando um expressivo panorama da profissão e resultando numa obra que preenche uma lacuna de documentação para estudantes, profissionais e outras pessoas interessadas no assunto.




ESCRITO POR CAROLINNY CANDIDO


O universo dos calçados

Ilustração da designer Niege Borges que mostra vários modelos de sapatos e seus nomes em inglês. É um ótimo manual para esclarecer o nome dos infinitos modelos que encontramos hoje em dia.




ESCRITO POR  CAROLINNY CANDIDO

Pense Moda

Flávio de Carvalho na Cidade do Homem Nu
"Flávio de Carvalho estreou seu New Look. É de nylon e brim. Acalma os nervos. Evita as guerras. Previne resfriados".   Essa foi a chamada de uma reportagem na revista " Manchete" publicada em 27 de outubro de 1956.  Intitulada " Experiência nº 3 ", a caminhada do arquiteto pela avenida Paulista, vestindo saias, para divulgar seu projeto de utopia urbana, é hoje considerada a primeira arte performática na moda brasileira.

"A arte que interessa é aquela que procura destruir uma suposta verdade."
Flávio de Carvalho.



ESCRITO POR CAROLINNY CANDIDO.